13 fevereiro 2006

"Cinco Minutos de Jazz" faz 40 anos



O mítico programa de José Duarte está a comemorar o seu 40.º aniversário.
Começou em 1966 na Rádio Renascença, e passa hoje na Antena 1, depois de uma trajectória algo atribulada por várias estações. É portanto um resistente na nossa rádio, mas apenas por mérito do seu autor e em nome do amor incondicional que devota ao jazz, ainda por cima num país onde o género nunca foi devidamente apreciado por quem tem dirigido os canais de rádio portugueses. Por isso, é ainda maior a dívida de gratidão dos amantes de jazz para com José Duarte.
Em entrevista concedida a Anabela Mota Ribeiro no programa "
Magazine", da RTP-2, José Duarte não escondeu o seu desalento quanto à divulgação do jazz na rádio dizendo que é uma causa perdida, em virtude dos valores estéticos que actualmente prevalecem. Compreendo perfeitamente o seu desencanto pois o jazz não é o único género a sofrer com o actual estado de coisas. Está a acontecer o mesmo (ou pior) com as músicas de matriz tradicional, apesar de serem bem menos minoritárias e elitistas do que o jazz. O jazz, apesar de tudo, tem actualmente uma presença razoável na rádio pública mas a música portuguesa de raiz ou inspiração tradicional, ao ser banida da 'playlist', tem neste momento uma presença ínfima (confinada aos programas "Lugar ao Sul" e, em parte, "Vozes da Lusofonia" e "Viva a Música"). A resignação será sempre a pior atitude para enfrentar o problema e, por isso, é pena que não existam mais Josés Duartes para pugnarem pelo direito de representatividade mediática das músicas marginalizadas por um sistema que só se preocupa em promover a pop, o 'hip hop' e afins. Gostei de ouvir dizer que o jazz não se ensina, antes se aprende ouvindo. Enquanto ouvinte, eu direi que tem de se sentir e para tal é necessário que a sensibilidade seja apurada, que se torne apta a fruir. E José Duarte é dos que mais têm feito nesse sentido, não só com o "Cinco Minutos de Jazz", mas igualmente com "A Menina Dança?", e agora também com "Jazz com Brancas". Para os ouvintes, talvez a presença de jazz na rádio nunca tenha sido tão boa como hoje. Contabilizando também o contributo de Manuel Jorge Veloso com "Um Toque de Jazz", conclui-se que em cada dia há, pelo menos, uma hora de jazz na rádio portuguesa!
Quanto a cantores e músicos portugueses, também me parece que a situação é bem melhor hoje do que há uma ou duas décadas atrás. Estou mesmo em crer que alguns dos nomes da nova geração fazem hoje jazz muito por culpa de José Duarte. Por isso, não são só os ouvintes que terão de lhe prestar tributo pelo seu mister na rádio e também na academia portuguesa que finalmente abriu as portas a um género ainda encarado de forma preconceituosa por um certa intelectualidade.
Aproveito para endereçar votos de longa vida ao "Cinco Minutos de Jazz" e ao seu autor.

Nota: José Duarte é responsável pelo site
http://www.jazzportugal.net e lecciona História do Jazz no Departamento de Comunicação e Arte, da Universidade de Aveiro.

Sem comentários: