20 março 2018

Roda Pé: "Primavera Alentejana"


© Teresa Azevedo

Rafael Correia, durante as quase três décadas em que realizou, nos estúdios da RDP-Faro para a emissão nacional da Antena 1, o seu maravilhoso programa "Lugar ao Sul" [reedição >> RTP-Play], sempre teve o mui louvável cuidado de aguçar o apetite dos ouvintes, para as saborosas e nutritivas iguarias sonoras que recolhia no Portugal profundo, com canções, poemas recitados e trechos instrumentais extraídos de edições discográficas. Enquanto fiel ouvinte, tive assim a oportunidade de descobrir muitos e magníficos espécimes do nosso património fonográfico que de outro modo me teriam passado ao lado. Aliás, dezenas e dezenas dessas gravações nunca mais as ouvi na Antena 1, nem em qualquer outra rádio. É o caso da canção "Primavera Alentejana", sobre poema de Hermínia Gaidão Costa, que o grupo eborense Roda Pé gravou no CD "Escarpados Caminhos", editado em 2004 pela editora conimbricense Public-Art. E que melhor dia para revisitá-la do que este em que começa a Primavera, e estando os campos alentejanos já cobertos de verdura depois da abundante chuva? Espero que a apreciem.
A talhe de foice, não posso deixar de, uma vez mais, apontar o dedo à direcção de programas da Antena 1 pela reiterada marginalização a que vem votando a música popular portuguesa, seja a tradicional seja a de autor tributária da matriz tradicional. Atente-se na 'playlist' que é um perfeito deserto de música tradicional e nos escassíssimos espaços a ela consagrados – "Cantos da Casa", de Armando Carvalhêda [rubrica >> RTP-Play / programa >> RTP-Play], e "O Povo Que Volta a Cantar", de Tiago Pereira [>> RTP-Play] – que estão em horários de sono e sem que sejam repetidos a horas de vigília.



Primavera Alentejana



Poema: Hermínia Gaidão Costa (em memória de Margarida Gaidão)
Música: Hermínia Gaidão Costa e Roda Pé
Arranjo: Roda Pé e João Bacelar
Intérprete: Roda Pé* (in CD "Escarpados Caminhos", Public-Art, 2004)


[instrumental]

Rompe a aurora, nasce o dia
Iluminando o montado;
Como um hino à alegria
Ouve-se balir o gado.

Roxo, verde e amarelo –
Olho à volta – é o que vejo;
Não há nada assim tão belo,
Ó meu querido Alentejo!

Lindos campos verdejantes
Matizados de papoilas,
Já não são como eram antes
Mondados pelas moçoilas.

Já não são como eram antes
Mondados pelas moçoilas,
Lindos campos verdejantes
Matizados de papoilas.

[coros / instrumental]

Perfumados de poejo
Os campos de solidão:
É assim o Alentejo
Que trago no coração.

O melro canta no silvado,
O grilo num buraquinho;
E eu por ti apaixonada,
Alentejo, meu cantinho!

Lindos campos verdejantes
Matizados de papoilas,
Já não são como eram antes
Mondados pelas moçoilas.

Já não são como eram antes
Mondados pelas moçoilas,
Lindos campos verdejantes
Matizados de papoilas.

[coros / instrumental]


* Agostinho Teodoro – baixo eléctrico
Daniel Canelas – violino
Estêvão – guitarra acústica
Joaquim Manuel – acordeão
João Bacelar – percussão, bandola, berimbau de boca, reco-sapo, almofariz, programação e sampling
Participações especiais:
Joana Negrão – voz
Celina da Piedade – 2.ª voz
Produção – João Bacelar e Roda Pé
Gravado no Estúdio Quinta Dimensão, Azaruja-Évora, de Dezembro de 2003 a Abril de 2004
Misturas e masterização – João Bacelar
URL: http://www.roda-pe.com/



Capa do CD "Escarpados Caminhos", do grupo Roda Pé (Public-Art, 2004)
Concepção gráfica por Fernando Costa e Ricardo Costa

Sem comentários: