22 julho 2008

Amigos do LUGAR AO SUL no My Space



A par da comunidade já existente na plataforma Google (http://groups.google.com/group/lugar-ao-sul), o grupo Amigos do LUGAR AO SUL faz-se também representar no My Space (http://www.myspace.com/lugaraosul), justamente para abrir aos seus membros e, bem assim, aos cibernautas em geral mais uma janela para a boa música portuguesa, em especial a mais representativa da nossa matriz cultural: popular (tradicional e de autor) e fado. Nessa conformidade, a lista de amigos será formada preferencialmente por intérpretes (em nome individual ou em grupo) que se inserem naquelas áreas. Atendendo à pouquíssima atenção que as rádios hertzianas nacionais, completamente instrumentalizadas pelo lobby da indústria discográfica, dão à nossa música mais autêntica e qualificada, a nova página tem o nobre propósito de constituir uma montra dos nomes de maior valia e interesse do panorama musical português, representados no My Space. Porque só se ama e se deseja o que se conhece.
Embora a lista de artistas/grupos amigos ainda esteja em fase de constituição, pelos nomes representados até ao momento já é possível aferir-se da muita e boa música de raiz tradicional/folk que se está a fazer em Portugal. A estatal Antena 1, no entanto, continua a fazer de conta que nada disso lhe diz respeito, a ponto de quase não dar espaço a esta importante vertente da nossa música. Sem prejuízo da necessária reformulação da playlist de modo a torná-la mais eclética e menos monolítica, é gritante a falta que se faz sentir na Antena 1 de um programa musical de divulgação da produção nacional de raiz ou inspiração tradicional. E digo programa porque a minúsculo apontamento
Cantos da Casa, de Armando Carvalhêda, é manifestamente insuficiente, além de que o horário de emissão (14:55) não é propriamente praticável por muitas pessoas apreciadoras do género, por contingências profissionais (nem todas as profissões são compatíveis com a escuta de rádio). Aliás, existindo espaços alargados, em horários não laborais (fim-de-semana), para o fado ("Alma Lusa"), para o jazz/swing ("A Menina Dança?") e para a música anglo-americana ("Ondas Luisianas" e "Classe 70"), não se compreende por que não acontece o mesmo para a música de raiz tradicional. Trata-se, sem dúvida, de uma falha clamorosa do serviço público, que urge colmatar! Se isso não acontecer em tempo útil, não deixarei de voltar ao assunto proximamente.
Por último, e em nome dos Amigos do LUGAR AO SUL, peço à administração da Rádio e Televisão de Portugal que, a exemplo da oportunidade dada – e muito bem – a António Cartaxo, não impeça Rafael Correia de nos continuar a presentear com as suas saborosas conversas andarilhas, pelos trilhos da memória algarvia e alentejana. Pois, como alguém dizia, «não há sábado sem "Lugar ao Sul"».

1 comentário:

Петър Руло disse...

Não conheço programa de rádio que seja capaz de tão eficazmente me transportar para outros lugares e tão bem sentir as pessoas de de lá, de Portugal, aqui, em Portugal.

Felicitações, por tão bem entrarem no interior do nosso país, e por tão humanamente não deixarem esquecido o esquecimento.

Pedro,Lisboa