22 dezembro 2017

Vozes do Imaginário: "Não Há Noite Mais Alegre"


Giotto di Bondone, "Natividade", c.1313, fresco, Basílica de S. Francisco, Assis, Itália


A ideia de incluir canções de Natal na 'playlist' da Antena 1, para difusão durante a presente quadra, é em si muito louvável. O modo como a ideia foi levada à prática é que deixa bastante a desejar. E porquê? Porque quase todas as canções seleccionadas são estrangeiras (anglo-saxónicas, bem entendido), e com a agravante de boa parte delas ser de terceira categoria. Do repertório nacional, apenas uma chegou até agora aos meus ouvidos: "Podia Ser Natal", de António Manuel Ribeiro.
Perguntamos: sendo o cancioneiro natalício português imensamente rico e havendo tantas e boas recriações publicadas em disco [cf. "Música portuguesa de Natal"], como se explica que não sejam tomadas em conta por quem administra/edita a 'playlist'? Ignorância? Preconceito? Provincianismo pacóvio de achar que só o que vem de fora é que é bom?
Qualquer que seja o motivo ou motivos, tal situação, pela anormalidade de que se reveste (atendendo às particulares obrigações que a Antena 1 tem na divulgação da boa música portuguesa), não é mais tolerável e reclama urgente alteração.
A título de exemplo do que de bom (muito bom!) existe no nosso património musical/fonográfico, aqui fica a belíssima cantiga tradicional "Não Há Noite Mais Alegre", originária da localidade algarvia de Alte (concelho de Loulé), magnificamente recriada pelo grupo eborense Vozes do Imaginário, dirigido por Gil Nave.
Com votos de Boas-Festas!



Não Há Noite Mais Alegre



Letra e música: Tradicional (Alte, Loulé, Algarve)
Intérprete: Vozes do Imaginário* (in CD "Cantos ao Menino, Reis e Janeiras da tradição musical portuguesa", Do Imaginário - Associação Cultural, Évora, 2009)


[instrumental]

Não há noite mais alegre
Que é a noite de Natal
Onde nasceu o Deus-Menino
Antes do galo cantar.

Deu o galo três cantadas,
Deu o Menino nascido;
Bendito seja o ventre
Que o trouxe nove meses escondido!

E a mula, como maldosa,
Destapava-o com a ferradura;
Mas o boi, como era manso,
Tapava-o com a armadura.

E ao boi, Nosso Senhor
Lhe deu a sua bênção:
«As terras que tu lavrares
Todas elas dêem pão!

Cada bago dê uma espiga!
Cada espiga um milhão!
Todo ele se aguardará
Lá no mês de S. João!»

Não há noite mais alegre
Que é a noite de Natal
Onde nasceu o Deus-Menino
Antes do galo cantar.


* Vozes do Imaginário: Alda Barreiros, Ana Cardoso, Ana Teixeira, Anabela Belo, Beatriz Quitério, Carmen Almeida, Custódia Casanova, Dora Pereira, Finita, Gil Nave, Helena Figueiredo, Idália Oliveira, Isabel Bilou, Isabel Borges, Joana Borrego, Joaquim Nave, Maria João Alface, Susana Russo, Teresa Aleluia, Teresa Rodrigues, Wladimiro Garrido
Concertina diatónica – Gil Nave
Triângulo – Susana Russo
Contrabaixo – Joaquim Nave
Direcção musical – Gil Nave
Gravado em Évora, em Dezembro de 2008
URL: https://www.facebook.com/do.imaginario/
http://doimaginario.blogspot.com/
https://www.youtube.com/user/doimaginario1/videos



Capa do CD "Cantos ao Menino, Reis e Janeiras da tradição musical portuguesa" (Do Imaginário - Associação Cultural, Évora, 2009)

_________________________________

Artigos relacionados:
Natal
Não há canções de Natal na música portuguesa?
Música portuguesa de Natal
Celina da Piedade: "Este Natal"
António Gedeão: "Dia de Natal"

Sem comentários: