26 maio 2006

"Câmara Clara": o novo programa de actualidade cultural da RTP-2



Em 7 de Abril lavrei aqui o meu protesto contra a extinção do "Magazine", programa que no segundo canal da televisão pública dava conta da actividade cultural. Para mim, era um escândalo o serviço público de televisão não ter um espaço deste género. Por isso, foi com agrado que ontem ouvi Paula Moura Pinheiro, subdirectora de programas da RTP-2, anunciar um novo programa para suceder ao "Magazine". Chama-se "Câmara Clara" e vai para o ar aos domingos, logo a seguir ao Jornal 2, por volta das 22:30. O horário merece o meu aplauso, mas confesso que achei o título algo exótico. "Câmara Clara" porquê? Depreendo que se queira dar a ideia de uma câmara de filmar com o diafragma totalmente aberto. Dado que as actividades que vão ser focadas decorrem sobretudo à noite, em ambientes de fraca luz, até percebo a ideia. Para me certificar consultei um dicionário, mas a definição que aparece é outra: câmara clara – dispositivo adaptável aos microscópios, que permite desenhar o que se observa, por um processo semelhante ao decalque. Bem, passemos à frente porque os títulos são o que menos importa. O que realmente interessa são os conteúdos e, como tal, fico na expectativa que eles façam jus ao que deve ser um verdadeiro serviço de informação cultural. Espero que o novo programa, não caia no erro do "Magazine" que dava um destaque desmesurado à música pop e se limitava a fazer uma referências escassas e breves à música clássica, ao jazz e à 'word music'. Faço votos para que o responsável editorial do "Câmara Clara" não deixe passar em claro o que de melhor for acontecendo em matéria de música popular portuguesa (tradicional e de autor), já que se trata de um género que tem sido muito desprezado pela nossa rádio. É também para isso que existe o serviço público de televisão: dar representatividade mediática à actividade cultural e artística que não tem por detrás uma forte máquina promocional.




Adenda (em 30-Maio-2006):

Paula Moura Pinheiro, logo no início da primeira emissão, dignou-se dar uma explicação para o nome do programa. Na verdade, "A Câmara Clara" é o título de um livro do pensador francês Roland Barthes que versa sobre a natureza da fotografia, o amor e a morte. Editado pela primeira vez em França no ano de 1980, está disponível em português (de Portugal) na colecção Arte & Comunicação, das Edições 70.



Capa do livro "A Câmara Clara" – Edições 70 (Portugal)



Capa do livro "A Câmara Clara" – Editora Nova Fronteira (Brasil)

1 comentário:

j. disse...

Câmara Clara, como o livro do filósofo Roland Barthes.