01 janeiro 2020

Catarina Moura, Ariel Ninas e César Prata: "Entrada de Aninovo"



Ao contrário do que aconteceu com outras tradições portuguesas, a de cantar as janeiras não se extinguiu ante a industrialização e a aculturação anglo-saxónica, muito graças ao empenho de algumas associações culturais e de muitas autarquias (câmaras municipais e juntas de freguesia). A motivação, essa, é que já não é a mesma: hoje, o que realmente importa é manter viva a manifestação cultural dos cantares e tocares que vieram de um passado ainda próximo; antigamente, porém, era a dura e crua necessidade de angariar alimento que impelia os menos afortunados da vida a andarem de porta em porta a anunciar, cantando, a boa nova do nascimento do Menino Jesus ou a chegada dos Reis Magos a Belém, na esperança de que as casas ricas ou remediadas lhes retribuíssem a gentileza com uma chouriça, uma morcela, uma talisca de presunto ou mesmo um naco de toucinho, não se dispensando, em tempo de frialdade, uma boa pinga para aquecer a alma. Dessa finalidade de confortar o estômago e de restaurar as forças que a caminhada e as cantorias exauriram dá bem conta o rico repertório que portugueses e galegos criaram ao longo de gerações. Um magnífico exemplo é a cantiga "Entrada de Aninovo", tradicional da Galiza, que Catarina Moura, Ariel Ninas e César Prata interpretam magistralmente no álbum "Do Natal aos Reis: Cantos da Galiza e Portugal", recentemente publicado pela editora galega aCentral Folque. É pois com este belíssimo espécime que damos as boas-vindas ao Novo Ano, no calendário gregoriano pelo qual se rege o Ocidente, aproveitando para deixar aos leitores/visitantes do blogue "A Nossa Rádio" os nossos votos de saúde, paz, boa música e outras coisas gratas (desde que não prejudiciais ao bem-estar alheio e à casa comum de todos que é o planeta Terra).
Sendo esta a altura do ano em que se costuma formular desejos, aqui fica um: que seja feita a tão necessária operação de higienização na Antena 1, que a liberte da imundície sonora (que os contribuintes/ouvintes não merecem) e que a boa música passe a ser a sua marca distintiva e alternativa no éter nacional!



Entrada de Aninovo



Letra e música: Tradicional (Galiza)
Arranjo: Ariel Ninas
Intérpretes: Catarina Moura, Ariel Ninas e César Prata* (in CD "Do Natal aos Reis: Cantos da Galiza e Portugal", aCentral Folque, 2019)




Despedida de Ano Vello
e entrada de Aninovo,
os señores desta casa
as conten con moito gozo.

Catro mancebos xuntiños
aqui xuntiños estamos
e tan cansados os catro
que é preciso alimentarnos.

De moi lonxe xa viñemos,
noite que andar aínda falta
as forzas piden reparo,
mollo ás gorxas e non d'auga!

Chourizo e longaniza,
uña de porco, fuciño,
ou de xamón dúas tortillas
con dous xarriños de viño.

[instrumental]

Abran a porta, señores,
que por honrados nos temos!
Sabe Deus se p'ra outro ano
á porta lles cantaremos...

De cantar xa nos cansamos,
por probes non nos desprezem
que se algo os ricos non dan
os probes mal se remexen!

E esta vai por despedida,
hoxe eiqui non canto outra.
Os señores desta casa,
hoxe un ano me oian outra!

E esta vai por despedida,
hoxe eiqui non canto outra.
Os señores desta casa,
hoxe un ano me oian outra!


* [Créditos gerais do disco:]
Catarina Moura – voz
Ariel Ninas – sanfona, sinos, harmónica, chocalhos, adufe e voz
César Prata – guitarras, dulcimer, adufe, harmónio, mbira, beat root e voz
Gravado por César Prata, no estúdio RequeRec (Trancoso)
Misturas e masterização – César Prata
URL: http://artistas.folque.com/do-natal-aos-reis/



Capa do CD "Do Natal aos Reis: Cantos da Galiza e Portugal", de Catarina Moura, Ariel Ninas e César Prata (aCentral Folque, 2019)
Desenho e arte final – Mauro Sanin Leira

1 comentário:

vieira da silva disse...

Muito bom !

Vieira da Silva