31 maio 2007

Antena 2: uma rádio afónica

Desde que o programa da manhã da Antena 2, agora com o nome (kitsch e aberrante!) de "Império dos Sentidos", foi infestado de palavreado oco e estéril, a minha assiduidade na sua audição passou a ser mais esparsa. Hoje, por acaso, foi um dos dias em que procurei a sintonia da rádio clássica portuguesa, mas julguei que me tinha enganado. A primeira impressão com que fiquei foi a de que estava a ouvir uma rádio pirata feita por curiosos e em tom de brincadeira. Mas não! Para meu espanto tratava-se mesmo a Antena 2! Quem fazia a locução era a pessoa do costume – Paulo Alves de Guerra – só que afónico. Ora, eu julgava que para se estar aos microfones de uma rádio, a condição básica e essencial era a voz estar em perfeitas condições de audição e percepção, isto para além de outras qualidades como a colocação, a dicção e o timbre. Julgava também que tanto os locutores que trabalham na rádio pública como a direcção de programas tivessem conhecimento dessa coisa elementar. Mas considerando o que se passou hoje essa minha suposição é capaz de ser muito optimista. Gostaria de deixar claro que não culpo Paulo Alves Guerra pela afonia: isso acontece a qualquer um. Mas confesso que esperava uma atitude diferente da sua parte, em vez de fazer figuras tristes e deploráveis. Se não estava em condições, a única decisão que devia tomar era comunicar aos seus superiores hierárquicos que não podia fazer a locução e pedir que o substituíssem até que melhorasse. Ao invés, fez de conta que não se passava nada, revelando não só falta de brio profissional como uma tremenda falta de respeito pelos ouvintes que são afinal quem lhe paga o salário. Para cúmulo, a direcção de programas também fez de conta que estava tudo normal. Se Paulo Alves Guerra não conhece os limites da decência e ética profissional, seria expectável que da parte da direcção de programas alguém pusesse cobro à situação, retirando-o de antena e entregando a locução a outrem. Mas não! Porque é que Rui Pêgo e João Almeida ficaram quedos e mudos? Será que ainda estavam a dormir? Ou se estavam já acordados, o que é que andavam a fazer?
Nem nos meus piores pesadelos, alguma vez sonhei que a rádio clássica viesse a chegar a este estado de degradação. Não há ninguém responsável que deite mão à Antena 2?

1 comentário:

x disse...

A Rádio «Antena 2» tem piorado a qualidade da sua emissão.
Quando questionado o Provedor dos ouvintes, sobre a duvidosa orientação dos programas da responsabilidade de «João Almeida»,
este respondeu que os ouvintes que não gostarem da programação têm a opção de desligar a Rádio.
Por mim estamos entendidos.
Felicio