09 janeiro 2006

Afogada em transmissões de futebol

Ainda estão na lembrança de todos as críticas provocadas pelo enormes montantes dispendidos pela RTP na compra de direitos de transmissão televisiva dos jogos de futebol. O mesmo futebol usado para escorar as audiência da RTP.
Agora que a RTP perdeu o futebol para a TVI, aquelas transmissões directas deixaram de constituir Serviço Público. Veja-se no Diário de Notícias de hoje:
O futebol deixou de ser uma prioridade para a RTP. Quem o diz é o presidente do Conselho de Administração da empresa. Para Almerindo Marques, o futebol, apesar do seu "óbvio interesse público", não é um conteúdo de serviço público.
A RTP mudou as suas prioridades, explica Almerindo Marques, Presidente do Conselho de Administração da RTP:
É evidente que os jogos de futebol são de interesse público, mas não se inscrevem no conceito de serviço público que um operador como a RTP tem de respeitar.
E reconhece mesmo:
(...) somando o tempo de emissão com o futebol, é óbvio que havia um exagero na RTP.
Será que Almerindo Marques, Presidente do Conselho de Administração da RTP poderia explicar ao seu colega Presidente do Conselho de Administração da RDP (que por acaso também se chama Almerindo Marques – serão primos?) que o futebol não é um conteúdo de serviço público.
Talvez assim se moderassem os exageros que afogam a Antena 1 com relatos de futebol.

Sem comentários: